Bom dia pessoal, hoje é dia 16/07/2016 um sábado. Apenas pra inteirar você que descobriu meu site agora me chamo Eduardo e estou desde do dia 05/07/2016 trazendo aqui meus relatos e experiências na tentativa de controlar minha compulsão alimentar e consequentemente emagrecer. Caso queira saber mais sobre minha história leia aqui.

Já eliminei 8 quilos desde do dia 5, não é lá grande coisa pra quem tem mais de 100kg pra eliminar, mas levando em conta que ainda estou em experiência, está ótimo.

No primeiro dia iniciei uma dieta restritiva de carboidratos, típica Atkins, consegui ir  bem por uns 3 dias, no quarto dia não resisti a fraqueza e ausência de carboidratos e a compulsão voltou (leia aqui), mas já retomei imediatamente no dia seguinte e assim tem sido nesses 10 dias de dieta com dias bons e outros nem tanto assim.

Baseado nesse fato decidi seguir a risca uma dieta restrita de carboidrato, quando digo restrita é comer quase zero gramas de carboidratos por dia. De fato na minha vida toda,  jamais consegui ficar mais de 3 dias numa dieta desse tipo. No passado emagreci mais de 120kg normalmente sem restringir carboidratos a esse ponto, porém dessa vez decidi tentar mais uma vez e me dedicar.

Um pouco de história e ciência

Os cientistas no passado ao entenderem os mecanismos Alimentado – Jejum, descobriram dois hormônios chamados de Insulina e Glucagon, ambos produzidos pelo pâncreas. Quando você consome carboidratos, sua glicose no sangue (glicemia) sobe, entra então em ação o hormônio insulina que proporciona a entrada da glicose nas células. Conforme a insulina vai fazendo seu serviço e a concentração e glicemia caindo, entra então um outro hormônio que efetua um papel oposto ao papel da insulina chamado de glucagon, pois se a insulina atuasse infinitamente, a glicemia iria diminuir para níveis muito baixos (hipoglicemia) , o que causaria nossa morte.

Quando você consome carboidratos, uma pequena porção é armazenada em forma de glicogênio (um tipo de carboidrato) armazenado nos músculos e fígado. Quando você interrompe o consumo de carboidratos e sua glicemia cai, o hormônio glucagon sinaliza para que o glicogênio armazenado em seu organismo seja convertido em glicose e lançado na corrente sanguínea lhe dando uma dose extra de energia proveniente de glicose.

Quando a glicose acaba eu seu organismo o glucagon estimula a quebra de sua gordura armazenada, através de um processo chamado lipólise (lipo=gordura e lise=quebra). Alguns cientistas no passado descobriram este fenômeno e um deles em especial aproveitou dessas descobertas e começou a aplicar esta teoria em seus pacientes, seu nome era Robert Coleman Atkins, o famoso Dr. Atkins.

Dr. Atkins (1930 – 2003)

O que é essa dieta cetogênica? O que é estar em cetose?

Uma dieta cetogênica põe seu organismo em estado de cetose (corpos cetônicos servindo seu organismo como substrato para geração de energia). Quando comemos nossos pães, massa frutas e doces, estamos suprindo nosso organismo com carboidratos. Estes alimentos nos fornecem uma enxurrada de glicose (que é o carboidrato existente, mais simples e compatível com nosso organismo). Essa glicose na corrente é substrato responsável para prover energia aos nossos órgãos. Significa então que se acabar o carboidrato do mundo, nós morreremos? A resposta e não.

Conseguimos produzir glicose através da proteína que ingerimos e ainda da nossa gordura armazenada. Quando paramos de ingerir carboidratos nosso organismo percebe que perdeu uma importante fonte de energia, sendo assim ele precisa lançar mão de outras fontes de gordura.

Como dito acima, ao pararmos de consumir carboidratos, precisamos de outra fonte de energia. Além das proteínas que consumimos que também pode virar glicose, nosso organismo inteligente começa a lançar mão de nossas reservas de gordura através do processo de lipólise. Esta liberação de gordura passa por processos metabólicos que possam então ser utilizados como energia para o nosso organismo. Estes processos resultam em corpos cetônicos que são substratos que podem ser utilizados nos  músculos e cérebro como fonte de energia para os mesmos. Nossas células sanguíneas (hemáceas) são glicose dependentes, portanto a utilização de corpos cetônicos por outras células que os aceitem  como “combústivel”, deixam o pouco de glicose que resta na circulação para as células glicose-dependentes. Portanto estar em cetose é forçar seu organismo utilizar os corpos cetônicos provenientes das  reservas de gorduras (adipócitos) como fonte de energia para manutenção do organismo.

E qual o real perigo disso? Falando sobre cetiacidose diabética.

Muito se fala no perigo de estar em cetose, porém isto é comumente confundido com o termo cetoacidose diabética. Pessoas com deficiência no pâncreas não produzem insulina (Diabetes tipo 1). Outros indivíduos com o pâncreas funcionando normalmente podem possuir um defeito nas células que não reconhecem a insulina circulante no organismo, dessa forma em ambos casos a glicose não consegue penetrar nas células, resultando em uma grande circulação de glicose no sangue. Devido a essa deficiência de glicose na células, o organismo sinaliza que está faltando glicose, ativando assim o hormônio glucagon pelo pâncreas  e o o ACTH pela hipófise (glândula endócrina) localizada no cérebro que estimula a liberação de cortisol e hormônio do crescimento (GH), forçando o organismo a quebrar suas proteínas musculares (proteólise) gerando ainda mais glicose no sangue agravando a situação. Além disso o glucagon estimula a lipólise, quebrando mais moléculas de gordura, aumentando a concentração de corpos cetônicos no sangue diminuindo o ph do sangue, o deixando extremamente ácido podendo levar a fatalidade. Portanto se você tem alguma dúvida sobre seu estado de saúde em relação a diabetes, faça exames com seu médico ou nutricionista antes de tentar a dieta cetogênica. Outra questão importante que não podemos ignorar é a hipotensão (pressão baixa) causada pela ação diurética que dieta proporciona com a eliminação dos eletrólitos (sódio, potássio, etc) . Portanto muita cautela ao iniciar esta dieta.

Principais sintomas da Dieta Cetogênica

Então você resolve fazer esta dieta. Já te aviso de antemão que você irá se sentir uma pessoa miserável. O primeiro dia é o melhor de todos pois você está comendo coisas engorduras e deliciosas e ainda assim se sente com energia, afinal você ainda tem uma reserva de glicogênio no seu organismo (leia mais acima). Porém no segundo e terceiro dia você começará a sentir os efeitos da restrição de carboidratos. Veja:

  • Cefaléia (Dor de cabeça)
  • Diarréia algumas vezes e constipação (prisão de ventre)
  • Micção frequente (Devido a eliminação de líquidos com a liberação do sódio pela insulina ou quebra do glicogênio que armazena água em sua composição.
  • Fraqueza, irritação
  • Halitose ou hálito cetônico devido a presença de corpos cetônicos (cetonas) na circulação.
  • Desejo incontrolável por doces, pães e açúcar.

Estes sintomas desaparecem ou diminuem de forma intensa no fim da primeira semana após início da dieta.

Outro assunto que é importante abordar é no aspecto social e econômico. Fazer uma dieta desse tipo ou uma lowcarb em geral requer esforço e disciplina. Você irá necessitar de alimentos proteicos e gordurosos de fonte animal, que geralmente custam mais caro. Você necessitará ser muito criativo caso queira um cardápio mais diversificado em uma dieta desse tipo. O aspecto social é importante pois provavelmente você ainda ira conviver com pessoas próximas que não seguem este tipo de dieta, portanto seu compromisso em resistir as “tentações gastronômicas” serão fundamentais.

Dieta Cetogênica, suas fases e alimentos permitidos.

Toda dieta cetogênica é separada em fases. A primeira fase chamada de indução significa você restringir ao máximo a ingestão de carboidratos,  em alguns casos para pessoas com grave resistência metabólica de insulina, o recomendado é manter os níveis de carboidratos próximos a zero. No geral são permitidos 20g de carboidratos na fase de indução.

  • Todas as carnes bovinas, suínas e de aves . Fígado e timo de vitela e cordeiro apresentam uma contagem moderada de carboidratos. Portanto devem ser comidos com moderação.
  • Queijos amarelos em geral. Mussarela, provolone, prato etc.
  • Salados: Alface, Alface romana, Escarola, Rúcula, Endívia, Chicória, Cebolinha, Salsa, Pepino, Rabanete, Funcho, Pimentas, Ervas para salada, endro tomilho, manjericão, coentro, alecrim, orégano, jicama, Brotos de alfafa, Cogumelos, Erva-moura, Azeitonas
  • Bebidas diet como refrigerante zero são permitidos. Adoçantes também. Cuidados com adoçantes denominados açucar magro que contém sacarose ou maltodextrina na composição, estes não podem.
  • Leite não pode, porém seus derivados como nata e manteiga estão permitidos. Dica (Nata com café preto fica muito bom).

Alimentos permitidos. Gordura e proteína animal, gorduras boas de origem vegtal e alguns vegetais.

Dieta da Proteína, desinformação nada útil

Muitas vezes você ouviu falar da dieta da proteína. Eu não sei de onde surgiu este termo. Se foi da mídia ou dos artistas de Beverly Hills. Muitas vezes dietas lowcarb, Atkins ou cetogênica são confundidas com a dieta da proteína e isto não é verdade.  De modo geral a dieta cetogênica possui uma combinação de 70% de gordura, 30% de proteína e de 5 à 10 de carboidratos. Uma dieta estritamente proteica é a dieta Dukan que é pobre em gordura e carboidratos. Uma dieta alta em proteína é também utilizadas por bodybuilders para privilegiar a formação de músculos. Portanto a dieta cetogênica possui gordura como sua maior composição.

Dieta Cetogênica, fazer ou não fazer?

Particularmente nunca consegui levar a diante a dieta restritiva de carboidratos por mais de 3 ou 4 dias. No quarto dia inevitavelmente desistia, nunca suportei o stress gerado em todos sentidos. Também não acredito estar em restritamente em cetose seja pré requisito para emagrecer. Eu já emagreci muitos quilos em uma dieta normal, porém comendo mais qualidade ao invés de quantidade. No entanto eu vou dar uma chance a esse protocolo e testar por 40 dias. Acho um protocolo válido sim de se praticar para você entender que seu organismo é uma máquina poderosa tem todos mecanismos para te proteger de qualquer problema. Antes do objetivo ser emagrecer , colocar seu corpo em estado de cetose é praticar um autoconhecimento fisiológico.

Você se tornará melhor em interpretar seus sentimentos de fome, desejos alimentares e outras reações fisiológicas que seu corpo irá apresentar em um estado de mudança de fonte energética de carboidrato para gordura. Certamente seu organismo entra em cetose em diversos episódios. Seja numa noite prolongada de sono ou em alguma dieta que você já fez. Se você emagreceu, pode ter certeza que você esteve em cetose. Queimar gordura significa estar em cetose e vice-versa. Na dúvida experimente e aprenda com a reação do seu organismo. Recomendo que se inicie uma dieta num período que você esteja em casa pois a fraqueza e idas no banheiros em horários imprevisíveis serão inevevitáveis.

Conclusões

De fato a restrição de carboidratos tem suas vantagens, uma deles é a diminuição do desejo quase incontrolável de comer junk food , como doces, pizzas, massas e pães. Sua fome também diminui muito. O problema é o longo prazo. O esforço para variação de cardápio é um dos desafios a serem enfrentados. Lembre você é um ser social e o convívio com outras pessoas e eventos especais poderão fazer você desistir a qualquer momento e voltar para os velhos hábitos com força devastadora.

Eu nunca consegui ficar em uma dieta cetogênica por mais de 3 ou 4 dias, apesar de sim já ter entrado em cetose mesmo com poucos dias de restrição de carboidratos.

Vou tentar mais uma vez  e passarei minhas impressões e resultados nos próximos posts.

About author Ver todas postagens

Eduardo

Olá sou o Eduardo e criei este site para relatar meu problema com a compulsão alimentar. Trarei aqui muitas informações sobre o assunto, além de, obesidade, dietas e comportamento. Agradeço sua visita e participação.

1.573 CommentsDeixe sua mensagem